20190829_182740

Como contratar e como é o passeio VIP pelo Vale Sagrado dos Incas, em Cusco, no Peru

Cusco, no Peru, é a cidade mais antiga das Américas, tendo sido habitada continuamente por mais de 3.000 anos, sendo atualmente conhecida como a capital cultural do país. Foi a capital histórica do Império Inca do século 13 ao 16 até a conquista espanhola. Agora, Cusco é um importante destino turístico, recebendo quase 2 milhões de visitantes por ano.

Um dos passeios mais populares de Cusco é o Tour do Vale Sagrado dos Incas VIP, que inclui Chinchero, Moray, Maras, Ollantaytambo e Pisac, com uma grande quantidade de ruínas incas. A diferença do Tour Vale Sagrado padrão e o VIP, é que o VIP inclui Moray e Maras no roteiro. Para contratar o passeio é simples, na Plaza de Armas, em Cusco, há várias agências que oferecem o passeio. Você pode contratar pessoalmente e dá até pra pechinchar um pouco. Nós pagamos 80 soles por pessoa no passeio VIP. O passeio do Vale Sagrado padrão custa entre 50 e 60 soles.

Para realizar o passeio do Vale Sagrado, você precisará do famoso BTC – Boleto Turístico de Cusco. Se você for passar vários dias na região de Cusco, é recomendado você comprar o Boleto Turístico General, pois ele dura 10 dias e cobre a maioria das principais atrações, ao custo de 130 soles por adulto e 70 soles por estudante. Caso você vá realizar apenas esse passeio em Cusco, recomenda-se comprar o Boleto Turístico Circuito III, que dá direito a entrada em Chinchero, Moray, Ollantaytambo e Pisac, ao custo de 70 soles (preço único). 

Boleto Turístico de Cusco
Boleto Turístico de Cusco

Você pode comprar o Boleto Turístico de Cusco nas entradas de qualquer um dos pontos turísticos, ou em Cusco na bilheteria principal da BTC, localizada na Avenida del Sol, ou no Posto de Turismo, localizado na Calle Mantas, ambos perto da Plaza de Armas.

Tá planejando uma viagem para o Peru? Não esqueça de contratar seu seguro viagem. Compare seu seguro com as melhores operadores do mercado e tenha 5% de desconto com o cupom DECOLAGEM5.

Veja como foi nosso passeio. 

 

1) Plaza de Armas

No centro da Plaza de Armas de Cusco, há uma belíssima fonte com estátua pintada de ouro do Imperador Pachacutec em cima, com o dedo apontado para as montanhas. O Imperador Inca Pachacutec foi um dos Incas mais importantes e poderosos de todo o Império. Suas vitórias fizeram dele um dos maiores nomes da história peruana.

Estátua de Pachacutec na Plaza de Armas em Cusco.
Estátua de Pachacutec na Plaza de Armas em Cusco.

Foi na época de Pachacutec que Machu Picchu iniciou sua construção como futuro santuário e lugar de peregrinação. A construção de Machu Picchu durou de 50 a 70 anos, utilizando a força de 50 mil homens, que dedicaram suas vidas a construção.

O ponto de encontro do nosso tour foi ao lado da estátua. Depois de todos reunidos, entramos no ônibus com destino a primeira parada: Chinchero.

 

2) Chincero

Chinchero, uma pequena cidade rústica, a 3.762 metros de altitude, que fica entre Cusco e Urumbaba. Os Incas afirmavam que a cidade era o berço do arco-íris, pois frequentemente eles aparecem no céu. O solo da cidade é um dos mais ricos do Vale Sagrado, sendo por isso usado para fins agrícolas, com muitos aquedutos e terraços para plantações, que são usados até hoje para plantação de batatas, quinoa, favas e etc.

Chinchero, primeira parada do Tour
Chinchero, primeira parada do Tour

 

Terraços de Chinchero
Terraços de Chinchero

Combinando ruínas incas com a arquitetura colonial espanhola, a cidade também é conhecida pela sua tecelagem, onde um dos pontos do passeio é a visita a uma cooperativa têxtil, onde mulheres com trajes tradicionais peruanos demonstram o processo centenário de como a lã de alpaca é lavada e tingida com diferentes cores produzidas de forma natural. Uma apresentação muito interessante.

Mistura da arquitetura espanhola coma Inca
Mistura da arquitetura espanhola coma Inca

 

Apresentação da Tecelagem em Chinchero
Apresentação da Tecelagem em Chinchero

3) Moray

Entrada de Moray
Entrada de Moray

Após a visita a Chinchero, fomos a uma área remota do Vale Sagrado para encontrar as impressionantes ruínas de Moray. Os Incas criaram buracos profundos com degraus (chamados terraços) em formato circular, que parecem um anfiteatro romano. Esses terraços circulares teriam um propósito totalmente agrícola. A profundidade de cada terraço, a forma que a água desce, a sua posição em relação ao sol, tudo isso tinha um propósito específico. 

Ruínas de Moray
Ruínas de Moray

Para se ter uma ideia, há uma diferença de 15º celsius entre o primeiro e o último terraço. Os diferentes microclimas presentes nos diferentes níveis permitiam os incas a plantar uma grande variedade de vegetais, testando e experimentando formas diferentes da agricultura. A área científica dos Incas era realmente muito avançada para a época.

Reserve seu Hotel com o melhor preço: Em Cusco, ficamos no Hotel Apu Huascaran, em San Blas. Hotel bom, bem localizado, limpo e barato. Reserve ele ou outro clicando aqui.

 

3) Salineras de Maras

As Salinas de Maras (foto), a 46 km de Cusco, é uma rede complexa de quase 3.000 salinas preenchidas por uma fonte subterrânea hipersalina. 

Acredita-se que essas salinas tenham sido desenvolvidas em tempos pré-incas (antes de 1430). É um dos 4 lugares no mundo onde se extrai o sal cor-de-rosa. 

Salineras de Maras.
Salineras de Maras.

Nessa paisagem deslumbrante das Salineras de Maras, pertinho de Cusco, é colhido um sal que é considerado um dos melhores do mundo. As salinas são usadas exatamente como eram na época dos Incas. A água, naturalmente salgada, desce das montanhas, a mais de 3 mil metros de altitude, e vai se alojando nas mais de 3.000 salinas (essas piscinas rasas). A medida que a água evapora, o sal permanece e é colhido pelas famílias.

As impressionantes Salineras de Maras
As impressionantes Salineras de Maras

Lembrando que as Salineras não fazem parte do Boleto Turístico. Com isso, é necessário o pagamento de mais 10 soles para entrar.

Ticket das Salineras de Maras
Ticket das Salineras de Maras

 

4) Almoço em Urumbaba

Após as Salineras, fomos a cidade de Urumbaba, caminho para Ollantaytambo para almoçar (o buffet + sobremesa já está incluído no valor do tour). O restaurante é organizado e há um buffet bem variado. A comida não estava lá essas coisas.

Entra do Restaurante Inka's House
Entra do Restaurante Inka’s House

É bom sempre perguntar aos funcionários do restaurante o que você está colocando no prato. Coloquei um bolinho, achando que era um bolinho de frango (estilo aquele chinês) mas era um tomate inteiro dentro. Coloquei também uma carne que achava que era frango, mas na verdade era carne de Cuy, ou mais conhecido por aqui como Porquinho da Índia.

Variedade do Buffet
Variedade do Buffet

Após o almoço, seguimos para Ollantaytambo.

 

5) Ollantaytambo

No coração do Vale Sagrado dos Incas está Ollantaytambo (ou Ollanta como é conhecido pelos habitantes locais), uma pequena cidade, a 95km de Cusco, que abriga as famosas Ruínas de Ollantaytambo. Estas ruínas são algumas das mais bem preservadas de todo o Peru, ao lado de Machu Picchu.

Terraços de Ollantaytambo
Terraços de Ollantaytambo

Hoje em dia, as ruínas são um local popular para turistas de todo o mundo e geralmente são visitadas por aqueles que estão iniciando a trilha Inca ou para quem vai pegar o trem para Machu Picchu.

Ollantaytambo
Ollantaytambo

É sempre bom ressaltar sobre o desgaste físico. Lembre-se que estamos a 2792 metros de altitude e vários degraus a subir. O corpo sentirá mais forte o Soroche, por isso faça sem pressa para aproveitar bem o passeio. 

Saiba mais como prevenir o Soroche clicando aqui.

Uma das poucas escadinhas de Ollantaytambo.
Uma das poucas escadinhas de Ollantaytambo.

Se você está planejando uma viagem para Machu Picchu, é quase certeza passar por Ollantaytambo. E realmente vale muito a pena.

 

6) Pisac

A cidade de Pisac, devido a sua localização central, era um importante ponto comercial no império Inca, e até hoje é famosa por seu mercado de artesanato no dia de domingo. Mas a principal atração da cidade são as incríveis ruínas, com avançadas construções para à época. 

Pisac. Foto: Anywhere.com
Ruínas de Pisac. Foto: Anywhere.com

Para otimizar nosso tempo, decidimos ir para Machu Picchu no dia do passeio do Vale Sagrado, e por isso, desembarcamos em Ollantaytambo para pegarmos o trem para Águas Calientes. Por conta disso, não visitamos Pisac, e rolou um certo arrependimento. 

 

Então, caso você tenha tempo suficiente, faça o passeio do Vale Sagrado em um dia diferente da ida pra Machu Picchu.

 

Veja nossos outros posts sobre o Peru:

Saiba como prevenir o Soroche (mal da altitude). Não perca sua viagem por causa dele.

Montanha Colorida (Rainbow Montain). Veja como foi nosso passeio.

Laguna Humantay: a famosa lagoa peruana

O que fazer em Lima: Conheça 10 lugares imperdíveis na capital do Peru.

Bate-volta para o Oásis de Huacachina, em Ica, o Geoglifo do Candelabro e as Islas Ballestas, em Paracas